98

Amanhecer
06/11/2017

Silêncio profundo!
Abaixo vejo os telhados;
Em frente, ao longe vejo o mar;
O sol nascendo, impossível de ser encarado.
Majestoso, belo, esplêndido, falando de um Criador,
De um Deus maravilhoso, de um amor sem par.

Que belo ver o amanhecer!
O dia que surge aos pouquinhos,
Trazendo esperanças aos que confiam no Senhor
E desalento aos que não têm fé!
O dia avança, esquenta, traz vida,
Todos se levantam, correm ao trabalho, ao labor.

(…)

Senhor, a vida é cheia de tormenta,
O sofrimento é inerente ao homem.
Mas o céu, o mar, as árvores,
Os pássaros, as estrelas e toda a criação
Enlevam-me, conduzem-me a um hino,
Aliviam minhas dores, dão-me vida,
Lembram-me que sou pó, mas tenho salvação.

(Maria Géssie Amorim in memoriam)