59

Ser grato – um modo de vida
28/09/2017

I Ts 5-18

Gratidão em muito excede a um “muito obrigado”, expressão presente em nosso linguajar diário, que tanto ensinamos e usamos, nos qualificando como pessoas educadas.

Distanciando do âmbito social e nos aproximando de Deus, ser grato é um sentimento próprio de corações agradecidos que reconhecem a bondade de Deus.

É comum em nosso meio cristão, prestarmos culto a Deus em ação de graças por reconhecimento a bênçãos especiais recebidas. E isso é bom e assim devemos proceder como fez o salmista: “Oferecer-te-ei sacrifícios de louvor e invocarei o nome do Senhor”. (Sl. 116-17).

Mais adiante no Salmo 118-1: “Rendei graças ao Senhor, pois ele é bom; o seu amor dura para sempre”. Aprendemos que a nossa gratidão a Deus deve estar baseada não apenas no que recebemos, mas na sua própria natureza que é bondade e amor eterno.

Gratidão deve figurar como resultado da certeza de que Ele cuida de nós, independentemente do que nos possa ocorrer de bom ou indesejável, assim nos orienta o apóstolo Paulo: “em tudo dai graças” (I Ts 5-18).

Extrapola à nossa capacidade cognitiva lembrar de todas as bênçãos recebidas e agradecermos sempre. Deus sabe das nossas falhas e imperfeições. Mas, zelar por um coração sempre agradecido, viver em constante oração e comunhão com Deus é possível, o que torna a nossa vida cristã mais qualificada e agradável a Deus.

Já que não podemos recompensar o Senhor por todos os benefícios que nos tem feito (Sl. 116-12), que Ele encontre em nós o verdadeiro sentimento de gratidão, sempre constante, ao sermos sondados.

Aprendemos em Fl 4-6 que todas as nossas petições, sejam conhecidas diante de Deus através da oração e súplica acompanhadas de ações de graças. Essa prática nos aperfeiçoa e contribui para nossa maturidade espiritual.

Assim, a nossa gratidão a Deus não se prenderá apenas a um momento, mas a um modo de vida.

(Ivone Britto)