100

Eu sou a Igreja!
08/11/2017

Este tipo de afirmação traz consigo alguns riscos. Afinal eu não sou “o” corpo de Cristo, sou apenas um de seus “membros”; eu não sou o todo, sou apenas uma parte.

Ser igreja é estar aberto a uma vida em comunidade. No relacionamento com o outro a fé deixa de ser ilusória (I Jo 4:21) e encontra espaço para se expressar de forma concreta. Os valores e princípios cristãos florescem sob a dimensão do “uns aos outros”.

- Amor - “Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros”. Jo. 15:17

- Serviço - “Servi uns aos outros...”. I Pe. 4:10

- Tolerância - “Suportai-vos uns aos outros...” Cl 3:13

- Consideração e Incentivo - “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras”. Hb. 10:24

- Consolação e Edificação - “Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos reciprocamente, como também estais fazendo.” I Ts. 5:11

- Verdade - “Não mintais uns aos outros...” Cl .3:9

- Humildade - “...suportando-vos uns aos outros em amor.” Ef. 4:2

- Perdão - “...perdoando-vos uns aos outros” Ef. 4:32

- Submissão - “...sujeitando-vos uns aos outros” Ef. 5:21

- Aceitação - “...acolhei-vos uns aos outros” Rm 15:7

A verdade é que NÓS SOMOS A IGREJA! Este espaço onde a timidez de um aprende com o desembaraço do outro; onde a serenidade de um se contrapõe a impulsividade do outro; onde o pânico de um desaparece diante da sensatez do outro e onde juntos oramos a oração de um Pai que é nosso.

(Pr. Roberto Amorim de Menezes)